Embaixada do Reino dos Países Baixos em Brasília, Brasil

Muito mais que medalhas

Depois de ter organizado uma maravilhosa edição dos Jogos Olímpicos, a cidade do Rio de Janeiro está pronta para sediar os Jogos Paralímpicos. Da mesma forma das Olimpíadas, esta é também a primeira Paralimpíadas no continente Sul-americano. Um acontecimento muito especial!

Desde 1980, quando a Holanda organizou pela primeira vez os Jogos Paralímpicos, na cidade de Arnhem, o interesse pelos jogos aumenta cada vez mais. Com 126 atletas paralímpicos, a maior delegação que já tivemos, a Holanda é um dos países com o maior número de participantes entre os 4350 atletas presentes.

O Comitê Olímpico Holandês - NOC*NSF - é um dos poucos comitês internacionais que não diferencia os atletas olímpicos dos paratletas. O Comitê mantém uma política integrada para ambos. Em parceria com a cidade do Rio de Janeiro, o NOC*NSF contribuiu para o projeto GEO, Ginásio Experimental Olímpico, na qual a paratleta (e porta-bandeira) Marlou van Rhijn (também conhecida como Blade Babe), juntamente com outros atletas, fizeram apresentações para alunos sobre os seus desenvolvimentos pessoais, sonhos, turbulências esportivas e a importância dos valores olímpicos.

O sucesso do projeto piloto em ter uma embaixada temporária “Pop-up Ambassade” à disposição dos 15 mil holandeses que vieram ao Brasil durante as Olimpíadas motivou a sua continuação durante os Jogos Paralímpicos. Dessa vez, o local escolhido para o Pop-up Ambassade será o Holland Lounge no Novotel (HotelNL) na Barra da Tijuca. Lá, os holandeses que precisarem de assistência consular poderão entrar em contato com os funcionários da embaixada do Reino dos Países Baixos.

Durante os jogos, a Holanda estará envolvida em eventos e projetos sociais e culturais. Entre eles, dois concertos a serem apresentados pela Escola Portátil de Música da Holanda, na Casa do Choro, nos dias 7 e 8 de setembro. No repertório, além das composições tradicionais e originais do choro, também serão apresentados o fado e o tango.

Passando pela acessibilidade cultural, no dia 10 de setembro, na UFRJ do Flamengo, teremos o primeiro Sencity no Rio de Janeiro. Esse evento de música para portadores de deficiência auditiva será conduzido pelo seu criador, Ronald Ligtenberg, numa parceria entre o MAM-SP, a UFRJ e o Consulado dos Países Baixos.

No dia 15 de setembro, haverá a inauguração do “Cruijff Court”, uma iniciativa da Johan Cruijff Foundation, fundação criada pelo conhecido jogador holandês de mesmo nome. Esses campos de futebol têm por objetivo promover o esporte em comunidades, inclusive com quadras adaptadas para jovens com deficiência.

Para os atletas holandeses é uma experiência fantástica poder participar dos jogos. Desejamos à eles, e claro, também aos atletas brasileiros grande sucesso nos Jogos Paralímpicos de 2016 no Rio de Janeiro.

Os Jogos Paralímpicos contarão com a presença da Princesa Margriet do Reino dos Países Baixos, membro honorária do COI, e também da Ministra dos Esportes, Edith Schippers.

Rio2016, Porta bandeira Marlou van Rhijn